terça-feira, 13 de novembro de 2012


Desde que cheguei penso em escrever sobre Amsterdam, mas ainda não me sentia “pronta” pra isso. Ainda não me sinto, é verdade, e talvez por isso esse seja só o primeiro de vários textos que vão sempre retomar o assunto.

Ainda não visitei os pontos turísticos e óbvios da cidade, ainda não tirei fotos no clássico I Amsterdam, ainda não fui em nenhum único museu que seja. Mas agora me sinto mais perto da cidade, porque pude senti-la em meus próprios pés e pulmões. Respirei o ar gelado que corta as ruas principais com seus canais infinitos, o ar engordurado das ruas feitas pra turistas e os ares encantados das ruazinhas laterais repletas de coffeeshops.

Amsterdam (ou Amstedã ou Amsterdão, como preferir) é capital e maior cidade dos Países Baixos. E, para a minha alegria, fica situada a apenas 23 minutos (de trem!) da cidade em que moro, Bussum. Por conta disso, tive o prazer de ir até lá já algumas vezes em tão pouco tempo. E posso dizer, sem dúvida, que em Amsterdam a gente vê de tudo um pouco. Mulheres em vitrines vermelhas e folhas de maconha em banners coloridos são só a capa que colocam pra gente ver de longe, assim como fazem com nossos futebol e carnaval.

Todas as raças e credos misturados, vozes de todos os sons e culturas, comidas de todas as cores. Amsterdam é morar dentro de um barco no meio do canal, é ter portas abaixo do nível da rua e outras portas estreitas que terminam em predinhos amontoados de sabe-se-lá quantos andares. Amsterdam é ver o Nemo já de longe e o mercado flutuante de flores de perto. Amsterdam é o Artis, é arquitetura e design, é Anne Frank, é Van Gogh. É batata frita no meio da rua e é não conseguir ler nenhum nome de rua sequer. Amsterdam é o zunido das bicicletas e trams e trens e carros que seguem ininterruptos – imunes a mim, e meus olhos de comer o mundo.

6 comentários:

Isabella Gouthier disse...

Os seus olhos de comer o mundo e transformar em palavras... E os meus de transformar em fotografia... Cada uma devorando as sutilezas e montando um jantar de memórias.
Amo.

Nathalia Koslyk Pontes disse...

ai, que delícia! conhecer pelas suas palavras só dá mais vontade de conhecer pelos meus olhos!

Thamy Gibson disse...

chega! arrumei minhas malas e vou voar pra amsterdam agora!! só que não... =//
ps: pode me emprestar seu DOM com as palavras pra que o meu tcc fique pelo menos um pouquinho legal??? kkkkkkkkkkkkk

Laysa disse...

I feel there again! you write so well about Amsterdam! congrats! :)

deh gouthier; disse...

lindas! brigada, leitoras queridas x)

Ana Luiza Cruz Ribeiro disse...

é arquitetuuuura! (L)

já viu esse aqui por lá?
http://www.flickr.com/photos/bartvandamme/4584681731/

Postar um comentário

 

Copyright 2010 The Life in Orange.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.